quarta-feira, 28 de novembro de 2007

E o bambu?

Dia desses um amigo disse que não gostava de filmes dublados. Confesso que sei muito pouco de inglês, nada de francês, japonês, alemão e acho (só acho) que entendo alguma de espanhol. E que não me incomodo muito com filmes dublados, ao menos não me incomodo tanto com esses filmes. Porém vejo que meu amigo tem razão por não gostar dos filmes dublados. Afinal ninguém nesse planeta, acho que nos outros também, diz coisas como: dane-se, quando quer dizer foda-se? Ou filha da mãe quando quer realmente, com sangue nos olhos, dizer filho da puta.

Mais do que a dublagem me incomodo com os títulos dos filmes, alguns vá lá até faço vista grossa. Mas Um tira da pesada, Vovozona e aqueles que no título aqui no Brasil levam a palavras ‘do barulho’, ‘da pesada’ e ‘muito louco’. Realmente não tem como passar despercebido esses títulos, que deve ser coisa do senhor Herbert Richards. Ainda assim acho que dublar é uma arte, vide o ótimo Tela Class.

Mas mudando de saco para mala, mas sem perder o foco, me diga quem não conhece aqueles CDs religiosos do Padre Marcelo, Padre Zezinho, Padre Quavedo sei lá. Em que eles com suas famosíssimas vozes levam aos lares desse meu Brasil Varonil a bíblia falada, ou o terço não sei das quantas ou ainda orações milagrosas, que nas vozes destes e de outros ícones pops da religião ganham mais força.

Desses o mais legal deve ser o do Cid Moreira, com aquele vozeirão sinistro narrando a bíblia. É engraçado, com todo respeito aos de coração puro. Mas acho muito engraçado a idéia de uma bíblia falada por se tratar de uma idéia mercadológica deveras descolada. O camarada que não quer ler a bíblia pode ouvi-la e com a voz do Cid Moreira, o cara do ‘boa noite’ mais sinistro do mundo. E eu que acreditava que o auge era ele apresentando os truques do Mister M.

Mas eis que ontem ,quando cheguei em casa, minha sobrinha aparece com um cd na mão e diz: -tio coloca no computador que eu quero escutar. – era um cd com a história do Rei Leão. Para meu espanto o narrador da história não era ninguém mais, ninguém menos do que ele o ícone, o patrão, o homem do baú... sim ele Sílvio Santos.

Oeee Oeee olha lá o Simba.Hahai hihiiii... Ele vem pela floresta, ele é corajoso e já pagou as prestações de carnê do baú rigorosamente em dia. Hahai hihiiii... Vamos lá Simba rodando e cantando oeee oeee... hatuna matata oee oee

Fim

2 comentários:

Jeniffer disse...

Título muito bem bolado hein!!!

huahuhahahaua

Fogo disse...

oiauehuahiouehaiouehioauoehuaiheuaoihueohaiuheiuaiheueiohauoheuhauoihauheauoi