quinta-feira, 13 de setembro de 2007

Simplismente sorte

Todos tem sorte, alguns mais que outros. Porém, o que é sorte? Como provar que ela existe? Qual o critério usado por ela para escolher alguém? Perguntas que seriam resolvidas facilmente se existisse algo como um 0800 ou "sac@sorte.com" que prestasse o serviço de esclarecer como é que funciona essa tal de sorte. Ao menos ninguém mais poderia dizer “puxa vida, que falta de sorte” ou “foi sorte”.

Acontece muitas vezes de ignorarmos pequenas doses de sorte, que acontecem a todo instante. Muito mais sutil do que uma bola na trave no finalzinho do jogo, em que seu time se safou de sofrer um empate que seria como uma derrota. Achar dinheiro no bolso da calça, ou outro acontecimento que qualquer mortal e até os imortais diriam que “foi sorte”. Me chama atenção as coisas simples, acredito ainda que quanto mais simples mais sorte.

Aquele meio milímetro que foi o suficiente para você não riscar o carro no estacionamento, a caneta que estava sobrando e a gata da oitava série, que não fala com ninguém, bem no dia da prova olha para você e pede uma caneta emprestada e ainda vocês se tornam amigos. Ou nos dias atuais as pessoas que levam tiro de raspão, caraca um tiro de raspão é muita sorte. Sem falar em loterias e sorteios, ao menos os que não são falcatrua. Enfim todo mundo tem a vida influenciada pela sorte, mesmo que não queira.

Outro dia estava este que vos escreve, indo para o trabalho e bem na minha frente uma garota (sim, ela era ruiva) falava com alguém pelo celular. Dizia que precisava comprar roupas para uma festa. De repente, não mais do que de repente, ela tropeça. Malandro que sou, ofereci ajuda. O salto do seu sapato tinha quebrado com a queda. Ajudei ela a levantar e disse que era uma situação embaraçosa ficar descalça na rua.

Qualquer um no lugar dela teria ficado puto com o meu comentário idiota, mas ela olhou para mim e riu. Ainda perguntei como ela conseguia manter o humor numa situação dessa. Ela apontou para a porta de metal que estava abrindo naquele instante e disse: Olha isso! Bem quando eu mais precisava.

A porta que se abria era de uma sapataria.

Fim

3 comentários:

Aline disse...

aoieuaoieuaoiuea
é muita sorte mesmo.
bom texto :D
gostei do blog.

como é que você foi parar no meu?

:*

Aline disse...

ah tá..
vou voltar sempre sim :D
vc tb, fica a vontade.

:)

Bru disse...

eta coisa boa... sorte... to procurando