segunda-feira, 17 de setembro de 2007

Mesmo que não queira

Hoje quando acordei a primeira coisa que pensei foi: cadê você? Não sei, mas toda manhã é assim, acordo penso em você e logo em seguida a lembrança de que você não esta por perto. Às vezes isso me entristece. Só que essa tristeza é momentânea. Tenho outras coisas para pensar, sim tenho muitas outras coisas. Afinal meu dia está só começando.

Depois do banho, ainda enrolado na toalha lembro daquele dia que você me falou que eu parecia uma criança de três anos se secando. Mesmo que não queira, não me importa. Afinal ainda estou começando o dia e você já não faz parte dele. Já superei tudo que aconteceu entre nós, do começo ao fim e nada me fará ficar remoendo o passado.

Entro no coletivo e encontro aquela amiga sua que trabalha lá no nosso, quero dizer, no banco. Falamos sobre o feriado e coisas bobas, nada muito complicado. E claro, sua amiga perguntou de você. Se eu tinha te visto, se eu sabia como você estava. Não, isso não me incomoda. Mesmo que não queira, como já disse, superei tudo o que tivemos. Até acho essa sua amiga interessante, um outro dia quem sabe.

No trabalho, um colega também vem me perguntar e falar sobre o final de semana. Cara chato da caceta, nunca vi esse cara fora do trabalho. Mas ele deve ser um fenômeno, sempre duas ou três mulheres por final de semana. Já estava quase me livrando dele, quando o sujeito me diz que viu você no parque com alguns amigos. O que eu tenho com isso? Dei um sorriso amarelo e fui para minha sala. Tomei um café bem forte e sem açúcar. Lembra como você reclamava do meu café sem açúcar?

O dia segue sem surpresas e não estou nem ai para você. Onze e meia recebo um e-mail da minha irmã querendo almoçar comigo hoje. Marcamos naquele restaurante mineiro perto do trabalho do seu irmão. Você sempre dizia que lá a comida era boa, mas eu só comia bife e batata frita. Só lembrei disso porque minha irmã falou a mesma coisa. Pois saiba que não vou passar o dia pensando em você. Não mesmo!

Depois de almoçar, me despedi da minha irmã e fui até a banca do Manel. Comprei o gibi do Homem-Aranha, agora não tenho mais que ouvir você reclamando e dizendo que gibi é coisa de criança. Tenho certeza que você falava isso só para eu começar uma daquelas discussões homéricas, em que um ficava apontando as manias do outro. Era divertido, mas isso tudo acabou e sei bem disso. Afinal, mesmo que eu não queira, já superei tudo e não vou mais pensar em você. Mesmo que não queira...

Fim

5 comentários:

Maycon Dimas disse...

corno

Aline disse...

não achei.
achei intenso.. e muito bonito.
me dá saudade por vc, eu acho ://
*mesmo que vc não queira..

Anônimo disse...

oi ale, gostei. é pra mim isso?
rsrs...

o maycon precisa transar. comentário mais bobo.

Alexandre Fernandes disse...

uia!

Bru disse...

a fase de repetir para si mesmo que não pensará é a pior parte... em que percebe que não consegue parar de pensar...

ótimo texto!