segunda-feira, 4 de junho de 2007

Pegadinha da cegonha

- Andréia?
- Beto! Olá.
- Tudo bem?
- Tudo e você?
- Tudo certo. E ai como vão as coisas?
- Bem, e você o que tem feito?
- Eu estou fazendo uns desenhos.
- Que legal! Quadrinhos?
- Isso agora sou cartunista de carteira assinada.
- Que bom, sabe que sempre torci muito por isso.
- Obrigado. Esta passeando?
- Não estou esperando meu namorado.
- Namorado?
- É, o Fábio lembra dele?
- Ahan, lembro sim.
- O que foi Beto?
- Nada não.
- Po, faz um tempão que não estamos juntos.
- Não esquenta não.
- Mas e aquela loira aguada, pagodeira, sem graça, de cabelo de chapinha?
- Não fala assim da Manu.
- Desculpe, mas ela é detestável.
- Estou enganado ou está rolando um ciuminho.
- Palhaço, claro que não. Ela é muito chata, você merece alguém melhor.
- Sei sei, mas aquele Fábio não vale nada. Maior mané aquele cara lá.
- Nem é.
- É sim, um Zé-Ruela.
- Estou enganada ou está rolando um ciuminho.
- Não, você está coberta de razão. Morro de ciumes de você.
- Hummm... sei não.
- O quê?
- Não sei se foi bom a gente se encontrar.
- Por quê?
- É estranho. Sei lá, parece que você sabe tanto sobre mim.
- E você sobre mim.
- É deixa pra lá.
- Vai dizer que você não sente saudades.
- Beto!
- Andréia.
- Isso não é pergunta que se faça.
- É só responder sim ou não.
- Não quero falar disso.
- Por que não?
- Porque não posso. E já é tarde de mais.
- Como assim, tarde de mais?
- Gosto muito de você. A gente não devia ter acabado. Mas agora é tarde.
- Me explica melhor isso.
- Estou esperando um filho.

Fim

2 comentários:

Maycon Dimas disse...

E pam!!

Um tiro no meio da fuça.

Aí sim, fim.

Raelma Mousinho disse...

ai coitado do beto!!!
rs
tentou se dar bem mas não teve jeito.

bjos kibe!

Rah